A ROTA DE MOTO

Tips


RECOMENDAÇÕES PARA PERCORRER A N-630

RECOMENDAÇÕES PARA PERCORRER A N-630

A estrada N-630, eixo vertebrador dos municípios que compõem a Rota “Vía de la Plata”, conecta as cidades de Gijón e Sevilha por meio de um traçado de aproximadamente 850 quilómetros.

Após ter efectuado uma exploração completa do itinerário de motocicleta, partilhamos alguns apontamentos de interesse naquilo que se refere às características da estrada: presença de curvas, estado do revestimento, elementos de protecção, índice de risco…


Colegiata románica en Arbás del Puerto.

ASTÚRIAS À saída desde Gijón não encontraremos referências à N-630; podemos apanhar a AS-266 desde Gijón a Oviedo e a AS-242 desde Oviedo até Campomanes. Em Mieres, aparecem já sinais da N-630. Pouco depois, encontramo-nos em Pajares, um dos passos mais espectaculares da Península para percorrer de moto, mas também um lanço em que há que redobrar as precauções: existem pendentes que vão desde 10% até 15%, o asfalto está em bom estado, embora devido às nevadas a estrada costume deteriorar-se mais durante o inverno. A maior parte das barreiras de protecção contam com uma protecção de dupla onda.

CASTELA E LEÃO À altura do quilómetro 128, cerca de León, existe um radar de trecho colocado numa longa recta de uns 5,4 km. Embora a rota em direcção a Benavente apresente longas rectas, há que ter cuidado com algumas curvas especialmente pronunciadas e fechadas que podemos encontrar no trajecto (quilómetros 138, 142, 163). Também podemos encontrar o revestimento fissurado.


Puerto de Honduras: buen asfalto en la parte que desciende hasta Hervás.

De Guijuelo a Béjar, a estrada estreita-se e o traçado torna-se curvilíneo. Voltamos a encontrar dupla onda de protecção no passo de Béjar bem como nas curvas entrelaçadas à altura do km 510.

ESTREMADURA – ANDALUZIA E de Mérida até Sevilha, continuamos com um bom revestimento e alguns pontos onde voltar a desfrutar inclinando as motos, novamente com barreiras de protecção de dupla onda. Se queremos evitar a via rápida, a estrada até Carmona é estreita (A-8005 até perto de Brenes e posteriormente, através da A 462).

É preciso ter em conta que a Rota “Vía de la Plata” atravessa muitas povoações e portanto, há que redobrar as precauções e respeitar os limites de velocidade para uma condução segura.

ESTAÇÕES DE SERVIÇO
A N-630 tem uma ampla rede de bombas de gasolina, aquelas indicadas na própria A66 correspondem àquelas que estão na estrada N 630. Referimos aqui por lanços algumas das estações de serviço que podemos encontrar:

Lanço Gijón – León: sem dificuldade para encontrar postos de combustível. Em todas as paragens principais há uma. Após passar Pajares, em “Ezequiel”.

Lanço León – Salamanca: nas principais povoações existem bombas fáceis de encontrar. Cabe destacar Montamarta, no km 261; Corrales del Vino, no km 306; e Calzada de Vandulciel, km 326.


Gasolinera entre Salamanca y Guijuelo.

Lanço Salamanca – Plasencia: Em Salamanca existem várias opções. Também em Montejo de Salvatierra (La Maya). Uma vez passada esta localidade: no km 371, cerca de Guijuelo; e no km 424, perto do Puerto de Béjar. Em Hervás, há duas estações de serviço muito próximas, nos quilómetros 435 e 454.

Lanço Plasencia – Sevilha: Em Plasencia não há problemas para encontrar bombas de gasolina. Também no km 490 e no km 542. Em Cáceres encontram-se sem dificuldade e depois de passar esta cidade temos outro posto de combustível no km 564. Pode tratar-se aqui do lanço com maior distância entre estações de serviço, porque as seguintes estão no km 637, à altura de Torremejía; no km 745 cerca de Santa Olalla de Casa e no km 770. Em Carmona há uma bomba de gasolina logo à entrada da povoação.