Habitats da Rota Ornitológica da Serra de Béjar

ROTA ORNITHOLÓGICA SIERRA DE BéJAR

Montanha:

A altitudes superiores a 2.000 m. s.n.m. é dada uma paisagem aberta onde prados subalpinos, matos de pirornos e terreno pedregoso estão se misturando. Nos prados podemos a observar bisbita alpina,londra comum e boia de lavagem. Nos piornales é muito abundante o sotaque comum,e, em menor grau, o brasamento comum,o escriba hortelano e o pechiazul. As encostas cobertas de pedra e picos rochosos formam o biotope roqueirovermelho, o escriba de Montesino, pichiroja chova, águia dourada e abutre de griffon.

Florestas e matagal:

A floresta na Serra de Béjar pertence à camada de vegetação chamada “supramediterránea”. Árvores caducas como o carvalho melojo e o castanheiro dominam. Abrigam uma rica ave de meios florestais, destacando-se um pequeno pico, picogordo, papagaios cerrojillo, papialbo mosquiteiro net, ruiva real e águia-da-estrada. Existem também extensões consideráveis com pinhais selvagens onde espécies como carvão carvão, piquituerto comum, rei comum e listagem, chotacabaras cinzentas,etc. são encontradas. Em áreas com mata-urze, vassoura, amora, majuelo, roseira selvagem, etc. são abrigadas muitas aves menores, como a tívarda rabilarga, torloina, carrasqueña, cabeça-de-cabeça, capirotada e o scribbe noir e é o habitat de caça favorito da águia culebrera.


Rios:

Nos rios de água corrente que são frequentemente acompanhados por uma floresta ripícola de amieiros, cinzas e salgueiros, é fácil de ouvir, mas difícil de ver, os rouxinóis comuns e bastardo escondidos no matagal da vegetação. O melro-de-água,a lavanderia cascade,bem como o pescador-real estão sempre perto da água.